Atividades Português – 13/03/2017

Atividades Português – 13/03/2017

1 – Leia as afirmações.

I. A linguagem pode ser definida como um sistema de sinais convencionais que nos permite realizar atos de comunicação.
II. A linguagem verbal é aquela que utiliza as palavras para estabelecer comunicação.
III. A linguagem não verbal é aquela que utiliza outros sinais que não as palavras para estabelecer comunicação.
IV. As variações linguísticas restringem-se apenas a diferenças regionais, marcadas por características fonéticas próprias de cada região.
V. Uma característica de todas as línguas é a presença de variedades que indicam, muitas vezes, a identidade dos membros de um grupo social.

Estão corretas as afirmações.

A) I, II e IV, apenas.
B) II, III, IV e V.
C) I, II e V, apenas.
D) I, II e III, apenas.
E) I, II, III e V.

2 – Leia a citação abaixo e depois responda o exercício.

“….é a capacidade intelectual para pensar e exprimir-se correta e claramente, para pensar e dizer as coisas tais como são. (…) é uma maneira de organizar a realidade pela qual esta se torna compreensível. É, também, a confiança de que podemos ordenar e organizar as coisas porque são organizáveis, ordenáveis, compreensíveis nelas mesmas e por elas mesmas, isto é, as próprias coisas são racionais” (CHAUÍ, 1997, p.59). A citação refere-se:

a) Ao conhecimento ilusório.
b) Ao conhecimento racional.
c) A crença religiosa.
d) A emoção.
e) A paixão.

3 – Considere as seguintes afirmações:

I – Um texto não é meramente “uma unidade construída por uma soma de sentenças, mas pelo encadeamento semântico delas”.
II – O encadeamento semântico das sentenças de um texto é dado, sobretudo, pelo emprego de mecanismos de coesão.
III – A coerência de um texto é resultante de uma concatenação perfeita entre as diversas frases e entre os diversos parágrafos, sempre em busca de uma unidade de sentido.

Pode-se dizer que:

A) somente a afirmação I está correta.
B) as afirmações I e II estão corretas.
C) as afirmações II e III estão corretas.
D) todas as afirmações estão corretas.
E) todas as afirmações estão incorretas.

04 – Considere as afirmações abaixo:
I. Um texto não é um aglomerado de frases.
II. Isolando frases do texto, podemos conferir-lhe o significado que se deseja.
III. Para entender qualquer passagem de um texto, é necessário confrontá-la com as demais partes que o compõem sob pena de dar-lhe um significado oposto ao que ela de fato tem.
IV. Nenhum texto é uma peça isolada, nem a manifestação da individualidade de quem o produziu.

Assinale a alternativa correta:

A) A Apenas as alternativas I e III estão corretas.
B) Apenas as alternativas I, II e IV estão corretas.
C) Apenas as alternativas II, III e IV estão corretas.
D) Apenas as alternativas I, III e IV estão corretas.
E) Todas as alternativas estão corretas.

05 – A linguagem utilizada no meio jurídico, apesar de ser uma variação da língua culta padrão, é considerada uma língua técnica. O que permite que a chamemos dessa última forma?

a) É o fato de ela ser usada apenas por técnicos jurídicos.
b) Por caracterizar uma língua grupal, o caso a praticada por advogados e juristas.
c) Por ser uma língua morta.
d) Por ter termos em latim, o que não é mais comum em nenhuma língua falada, apenas no meio jurídico.
e) As respostas “a” e “b” estão corretas.

06 – Exercício

Leia a tirinha a seguir e responda:
mafalda_reduzida

A conversa entre Mafalda e seus amigos

A)desvaloriza a diversidade social e cultural e a capacidade de entendimento e respeito entre as pessoas.
B)revela a real dificuldade de entendimento entre posições que pareciam convergir.
C)expressa o predomínio de uma forma de pensar e a possibilidade de entendimento entre posições divergentes.
D)ilustra a possibilidade de entendimento e de respeito entre as pessoas a partir do debate político de idéias.
E)mostra a preponderância do ponto de vista masculino nas discussões políticas para superar divergências.

07 – Assinale a alternativa incorreta

a) Um não jurista não pode compreender com tranquilidade a linguagem jurídica.
b) É possível dizer que a linguagem do direito existe para não ser amplamente conhecida.
c) Apesar de alguma dificuldade os estudantes de direito conseguem compreender sem prejuízo algum a linguagem doutrinária já no início do curso.
d) Um auditório de público culto não instruído torna-se impotente diante do discurso jurídico.
e) Em muitos casos há signos que só tem sentido sob o olhar jurídico: tem como função exprimir, na língua, as noções jurídicas.
f) Os casos referido no item “e” são “termos de pertinência jurídica exclusiva”.

08 – Do ponto de vista social, o gênero é:

A) Uma estrutura fixa instituída padronizada por autoridades competentes.
B) Tipo de texto definido apenas pela abordagem do mesmo conteúdo
C) Uma forma de comunicação que varia de acordo com a situação comunicativa.- (CORRETA) correta
D) Um estilo padronizado pelas autoridades competentes.
E) Uma forma de comunicação instituída pelas autoridades competentes.

09 – Leia as afirmações abaixo.

I. Podemos reconhecer o texto oral e o texto escrito como atividades interativas e que se complementam no contexto das práticas culturais e sociais.
II. Oralidade e escrita são práticas e usos da língua com características próprias, suficientemente opostas para caracterizar dois sistemas linguísticos distintos.
III. Tanto a modalidade escrita quanto a oral permitem a construção de textos coesos e coerentes, bem como a elaboração de raciocínios abstratos e exposições formais e informais, variações estilísticas, sociais e dialetais.

Estão corretas as afirmações:

A) I, apenas.
B) I e II.
C) II e III.
D) I e III.
E) III, apenas.

10 – Sabendo que a linguística é muitas vezes jurídica pela impregnação da linguagem pelo direito, marque a alternativa correta.

a) A linguagem legislativa – a linguagem dos códigos, das normas; sua finalidade: criar o direito.
b) A linguagem administrativa – é a linguagem dos processos; sua finalidade é aplicar o direito.
c) A linguagem convencional – é a linguagem dos processos, por meio dos quais se criam direitos e obrigações entre as partes.
d) A linguagem doutrinária – é a linguagem do aluno, dos doutrinados, cuja finalidade é aprender os institutos jurídicos, o direito;
e) A linguagem notarial – a linguagem jurídica que tem por finalidade rever os atos de direito.

11 – Leia o texto.

Sketches Luís Fernando Veríssimo
Dois homens tramando um assalto.

– Valeu, mermão? Tu traz o berro que nóis vamo rendê o caixa bonitinho. Engrossou, enche o cara de chumbo. Pra arejá.
– Podes crê. Servicinho manero. É só entrá e pegá.
– Tá com o berro aí?
– Tá na mão.
Aparece um guarda.
– Ih, sujou. Disfarça, disfarça…
O guarda passa por eles.
– Discordo terminantemente. O imperativo categórico de Hegel chega a Marx diluído pela fenomenologia de Feurbach.
– Pelo amor de Deus! Isso é o mesmo que dizer que Kierkegaard não passa de um Kant com algumas sílabas a mais. Ou que os iluministas do século 18…
O guarda se afasta.
– O berro, tá recheado?
– Tá.
– Então, vamlá!

Ao tramarem o assalto, os dois personagens do texto dialogam utilizando um registro de linguagem; quando o guarda passa, disfarçam usando outro. Os dois níveis de linguagem são, respectivamente:

A) gíria e linguagem vulgar.
B) linguagem vulgar e linguagem regional.
C) gíria e linguagem
D) linguagem coloquial e linguagem popular.
E) linguagem regional e linguagem vulgar.

12 – Exercício

Uma característica de todas as línguas é a presença de variedades que indicam, muitas vezes, a identidade dos membros de um grupo social. Os trechos abaixo representam alguns desses níveis, expressos nas opções:

a) Variante do nível culto – situação formal;
b) Variante regional – situação informal;
c) Variante popular – situação que indica falante de baixa escolaridade;
d) Variante pertencente ao nível literário com marcas de época;
e) Variante do nível comum com marcas de oralidade.

I. O dia todo ele chorava, percurava, não tava acreditando eh arregalou os olhos. Chega que andava em roda, zuretando. Me procurou até um buraco de formigueiro…
Rosa: [1968] (152), in ANDRADE, M. M. Língua Portuguesa. Atlas, 1996.
II. Entre os muitos méritos dos nossos livros nem sempre figura o da pureza da linguagem. Não é raro ver intercalados em bom estilo os solecismos da linguagem comum, defeito grave a que se junta o da excessiva influência da língua francesa…
ASSIS, Machado de. O novo mundo.In Silveira, 1961: 204-205 (idem)
III. (DUELO DE FARRAPOS)  (J. Simões Lopes Neto). Este caso que vou contar pelo miúdo, pra se entender bem. Em agosto de 42, o general, que era o presidente da República  Riograndense – vancê desculpe… estou velho, mais inté hoje, quando falo da República dos Farrapos, tiro o meu chapéu…
RAMOS. G. Seleção de contos brasileiros. Ed. De Ouro, p. 193, s.d.
IV … Eu explico. Pega-se um barbante – desses normais -, coloca-se fogo na ponta. Pega fogo, é claro, pois é de algodão. Aí você dá uma assopradinha de leve e fica apenas aquela pontinha  vermelha fumegante.
PRATA, M. E se a moda do barbante pegar? 100 crônicas. Cartaz Editorial, 1997.
V. Descalça vai para a fonte
Leonor, pela verdura:
Vai fermosa e não segura.
Lírica de Luís de Camões. In MEDINA, A. Rodrigues. Sonetos de Camões. Ática, 1993.

Assinale a alternativa que apresenta a correta associação entre os dois grupos.

A)a2; b3; c1; d5; e4.
B)a3; b2; c4; d5; e1.
C)a2; b3; c1; d4;
D)a5; b1; c3; d2; e4.
E)a3; b4; c1; d5; e2.

GABARITO

  1. E
  2. B
  3. D
  4. D
  5. E
  6. B
  7. C
  8. C
  9. D
  10. D
  11. C
  12. A

 


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s