Neurose

Neurose

substantivo feminino
  1. Psic perturbação funcional em órgãos intactos, considerada de origem nervosa, como, p.ex., uma neurose cardíaca.
  2. Psic conjunto de problemas de origem psíquica que conservam a referência à realidade, ligam-se a situações circunscritas e geram perturbações sensoriais, motoras, emocionais e/ou vegetativas; psiconeurose

Psiconeuroses (recalcamento)

–  Histeria ou neurose histérica → é uma psiconeurose caracterizada por alterações transitórias da consciência, como períodos de amnésia ou perda de memória, e por várias manifestações sensitivas ou motoras, também passageiras, como tiques, perda da sensibilidade cutânea, paralisia dos membros, cegueira ou convulsões.

Diferentemente do que muita gente pensa, não se trata de nenhuma reação emocional exagerada e, sim, de um distúrbio mental específico, que se manifesta fisicamente. Muito frequente entre as mulheres do século XIX, apresenta sintomas como paralisia e anestesia, confusão mental, múltipla personalidade e apatia em relação ao mundo exterior – ou, ao contrário, aqueles ataques nervosos que os leigos associam à palavra histeria. O nome vem do grego hystéra, que significa útero. “Acreditava-se, na antiguidade, que a energia vital desse órgão se deslocava para outras regiões do corpo, causando os ataques. Já na Idade Média, eles eram considerados manifestação de bruxaria e não foram poucas as mulheres queimadas vivas por causa disso. A psiquiatria do século XIX, por sua vez, acreditava que a raiz devia estar em uma lesão orgânica, enquanto outros falavam em fingimento”, diz a psicanalista Maria Teresa Lemos, da Escola de Psicanálise de Campinas.

O que os médicos nunca haviam percebido era que a histeria representava um grito de socorro das mulheres contra sua repressão sexual. Esse segredo começou a ser desvendado pelo francês Jean Martin Charcot (1825-1893), um dos pais da neurologia, que descobriu, por meio da hipnose, que tais sintomas tinham origem psíquica. O mais célebre aluno de Charcot, Sigmund Freud, demonstrou que nessa origem estava sempre um trauma sexual – ponto de partida para a criação de uma nova disciplina: a psicanálise. Com as mudanças sociais e culturais do século XX, a histeria deixou de ser tão comum e seu lugar foi ocupado pela depressão, o principal distúrbio psicológico da atualidade (http://mundoestranho.abril.com.br/saude/o-que-e-histeria/)

– Neurose obsessiva compulsiva → (impossibilidade)  TOC

Tipos de neuroses

Classicamente, fala-se de quatro tipos de neuroses:

  • Neurose de angústia, em que o sintoma predominante é a angústia.
  • Neurose fóbica, na qual preponderam as fobias. Atualmente grande parte do que era a neurose fóbica acha-se incluída nos transtornos fóbico-ansiosos.
  • Neurose histérica, caracterizada pela conversão de conflitos psicológicos em sintomas orgânicos e dissociações da consciência, atualmente chamada de transtornos dissociativos (de conversão).
  • Neurose obsessiva, em que dominam as compulsões e obsessões, atualmente compreendida, em grande parte, como transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

Tratamento das neuroses?

Nesses quadros clínicos, mais que em quaisquer outros, as psicoterapias são o tratamento principal. Os tratamentos medicamentosos incluem tranquilizantes e antidepressivos.